Lembrando que...

No meu blog há inúmeras imagens, artigos e materiais encontrados na internet.
Caso vc seja o autor de quaisquer materiais, deixe seu recadinho, que lhe darei os devidos créditos.
Sem mais,
Julia Campanucci

sábado, 31 de janeiro de 2009

O Rumo da Minha Vida, sou eu quem escolho!

Minha vida ao meu mercê...
É verdd que nem sempre é facil assim
Afinal a vida nos impõe muitas situações
q nos forçam à tomar determinados rumos, sei lá,
é como se nos obrigassem,
tipo assim,
"sentido obrigatório"
falta escolha
e aí
a gente segue,
segue seguindo sem saber ao certo
pra onde vamos,
mas ainda q isso pareça assustador ou animador
é justamente neste momento q cabe a nós
agarrar firmemente as rédeas,
o comando e nos
aprontarmos para um novo caminho,
ou melhor, uma nova escolha
pq chega o dia em q o
sentido obrigatório termina
e aí surge uma nova placa q
nos induz a escolher
e agora?
o q fazer?
Podemos fazer muito:
estudar as alternativas,
conhecê-las,
perguntar á outros,
enfim,
podemos fazer muitas coisas
mas não seria sábio
deixar q outros nos impusesse o caminho.
Nosso caminho
tem q ser nosso, só nosso!
Eu tenho q acreditar
q dará certo,
tenho q criar minhas expectativas,
tenho q ficar esperançosa, desejosa de chegar
Qdo acreditamos de coração,
não há erros
há custo.
Mas é mais em conta e
eu sei q a gente dá conta, rs
Beijos
Julia Campanucci

quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

Um presente...


Ganhei este presente dos amigos
Marcos Henrique e Débora
Ficou lindo, né?
Eles trabalham com artes gráficas,
quem desejar conhecer o trabalho deles
podem entrar em contato
pelo e-mail:
Obrigada!
Fiquei muito feliz!!!
Abraços,
Ju

A Maior Perda


***

"A morte não é a maior perda da vida...

A maior perda da vida é o que morre

dentro de nós enquanto vivemos"

(Norman Cuisins)

quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

Amigos

Sou muito feliz pelos amigos q eu tenho
É verdade q há amigos para cada ocasião,
seria até injusto ou, como diz o quadrinho, um abuso
da nossa parte esperar q os amigos
presenciasse conosco td aquilo q nós gostamos
Assim, buscamos amigos de todos os gostos
mas a essencia é a mesma, sempre...
_Amor, Companheirismo,
Fidelidade,
Bom humor, alegria
Enfim, Amizade!
É otimo ter amigos,
passar tempo juntos, rir até doer a barriga,
cantar juntos aquela musica contagiante
q poucos conhecem a letra, mas
q nós sabemos inteirinha, decor
Amigos pra tomar lanche juntos, passear...
Mas o melhor da amizade
acontece
dentro da gente
É aquela certeza do poder contar,
alguem em quem confiar,
é o segredo guardado,
é o olhar,
o riso,
o choro
Amigos são tudo de bom
com eles, aqueles problemas enormes
ficam minusculos,
quase desaparecem
É um novo ponto de vista,
da mesma vista de um ponto,
de um conto,
de um ato e de um fato
Amo meus amigos,
todos eles,
por tudo q eles são e, mais,
pela pessoa q eu sou
qdo estou ao lado deles.
Amo-os
pela paciencia enorme,
pela compreensão,
pelas broncas,
pelo carinho, pelo amor
q dedicam a mim todos os dias
Beijos e
Abraços bem apertados
á todos q são meus amigos
Julia

domingo, 25 de janeiro de 2009

Prêmio Dardos...


Fiquei muito feliz de receber o Prêmio Dardos pelo blog Baton e etc...
Estou tão empolgada que não podia deixar de dividir o prêmio com vocês.

O significado do prêmio:
“Com o Prêmio Dardos se reconhecem os valores que cada blogueiro emprega ao transmitir valores culturais, éticos, literários, pessoais, etc. que, em suma, demonstram sua criatividade através do pensamento vivo que está e permanece intacto entre suas letras, entre suas palavras. Esses selos foram criados com a intenção de promover a confraternização entre os blogueiros, uma forma de demonstrar carinho e reconhecimento por um trabalho que agregue valor à Web".
As regras para receber o prêmio são:
1) Exibir a imagem do selo;
2) Linkar o blog pelo qual você recebeu a indicação;
3) Escolher 15 outros blogs a quem entregar o Prêmio Dardos;
4) E avisar a todos, claro!
O Bela Ju indica para o prêmio os seguintes blogs:

sábado, 24 de janeiro de 2009

É de + pra mim!


Duvidar desse amor, é negar
todo bem, todo mal
É vc, sem querer, se esconder
por detrás de vc
Duvidar desse amor
é pior q olhar e não ver
bem ou mal, ou seja lá o q for,
é negar vc

Essa coisa do medo é natural
acontece com a gente, não faz mal
pode ser q eu me engane, coração
O amor é um truque da paixão
não precisa se assustar
não precisa ficar assim
vc tem que aprender
pra me ensinar

E pra q duvidar?
eu sei, existe um lugar
pra poder simplesmente dizer:
eu te amo e vou te amar
Um pouco de vc
pode acreditar
é de mais pra mim!

(Emílio Santiago)

terça-feira, 20 de janeiro de 2009

domingo, 18 de janeiro de 2009

sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

Teatro Infantil (crônica)

peça infantil

luís fernando veríssimo

a professora começa a se arrepender de ter concordado

(”você é a única que tem temperamento para isto”)

em dirigir a peça quando uma das fadinhas anuncia que precisa fazer xixi.

é como um sinal. todas as fadinhas decidem que precisam, urgentemente, fazer xixi.

— está bem, mas só as fadinhas — diz a professora. — e uma de cada vez!

mas as fadinhas vão em bando para o banheiro.

— uma de cada vez! uma de cada vez! e você, onde é que pensa que vai?

— ao banheiro.

— não vai, não.

— mas tia…

— em primeiro lugar, o banheiro já está cheio. em segundo lugar, você não é fadinha, é caçador. volte para o seu lugar.

um pirata chega atrasado e com a notícia de que sua mãe não conseguiu terminar a capa. serve uma toalha?

— não. você vai ser o único de capa branca. é melhor tirar o tapa-olho e ficar de anão. vai ser um pouco engraçado, oito anões, mas tudo bem. por que você está chorando?

— eu não quero ser anão.

— então fica de lavrador.

— posso ficar com o tapa-olho?

— pode. um lavrador de tapa-olho, tudo bem.

— tia, onde é que eu fico?

é uma margarida.

— você fica ali.

a professora se dá conta de que as margaridas estão desorganizadas.

— atenção, margaridas! todas ali. você não. você é coelhinho.

— mas meu nome é margarida.

— não interessa! desculpe, a tia não quis gritar com você. atenção, coelhinhos. todos comigo. margaridas ali, coelhinhos aqui. lavradores daquele lado, árvores atrás. árvore, tira o dedo do nariz. onde é que estão as fadinhas? que xixi mais demorado!

— eu vou chamar.

— fique onde está, lavrador. uma das margaridas vai chamá-las.

— já vou.

— você não, margarida! você é coelhinho. uma das margaridas. você. vá chamar as fadinhas. piratas, fiquem quietos!

— tia, o que é que eu sou? eu esqueci o que eu sou.

— você é o sol. fica ali que depois a tia… piratas, por favor!

as fadinhas começam a voltar. com problemas. muitas se enredaram nos seus véus e não conseguem arrumá-los. ajudam-se mutuamente mas no seu nervosismo só pioram a confusão.

— borboletas, ajudem aqui! — pede a professora.

mas as borboletas não ouvem. as borboletas estão etéreas. as borboletas fazem poses, fazem esvoaçar seus próprios véus e não ligam para o mundo. a professora, com a ajuda de um coelhinho amigo, de uma árvore e de um camponês, desembaraça os véus das fadinhas.

— piratas, parem. o próximo que der um pontapé vai ser anão.

desastre: quebrou uma ponta da lua.

— como é que você conseguiu isso? — pergunta a professora sorrindo, sentindo que o seu sorriso deve parecer demente.

— foi ela!

a acusada é uma camponesa gorda que gosta de distribuir tapas entre os seus inferiores.

— não tem remédio. tira isso da cabeça e fica com os anões.

— e a minha frase?a professora tinha esquecido. a lua tem uma fala.

— quem diz a frase da lua é, deixa ver… o relógio.

— quem?

— o relógio. cadê o relógio?

— ele não veio.

— o quê?

— está com caxumba.

— ai, meu deus. sol, você vai ter que falar pela lua. sol, está me ouvindo?

— eu?

— você, sim senhor. você é o sol. você sabe a fala da lua?

— me deu uma dor de barriga.

— essa não é a frase da Lua.

— me deu mesmo, tia. tenho que ir embora.

— está bem, está bem. quem diz a frase da lua é você.

— mas eu sou caçador.

— eu sei que você é caçador! mas diz a frase da lua! eu não quero discussão!

— mas eu não sei a frase da lua.

— piratas, parem!— piratas, parem! certo?

— eu não estava falando com você. piratas, de uma vez por todas…

a camponesa gorda resolve tomar a justiça nas mãos e dá um croque num pirata. a classe unida avança contra a camponesa, que recua, derrubando uma árvore. as borboletas esvoaçam. os coelhinhos estão em polvorosa.

a professora grita:— parem! parem! a cortina vai abrir. todos a seus lugares. vai começar!

— mas, tia, e a frase da lua?

— “boa-noite, sol”.

— boa-noite.

— eu não estou falando com você!

— eu não sou mais o sol?

— é. mas eu estava dizendo a frase da lua. “boa-noite, sol.”

— boa-noite, sol. boa-noite, sol. não vou esquecer. boa-noite, sol…

— atenção, todo mundo! piratas e anões nos bastidores. quem fizer um barulho antes de entrar em cena, eu esgoelo. coelhinhos nos seus lugares. árvores para trás. fadinhas, aqui. borboletas, esperem a deixa. margaridas, no chão.todos se preparam.

— você não, margarida! você é o coelhinho!

abre o pano.

*** puxa, só quem já passou por isso sabe as verdades destas palvras...

___Ufa! é uma loucura! mas no fim dá td certo e tudo fica lindo, uma graça...

Logo, logo recomeçamos...

e não é q deu saudade, rsrsrsr

Abraços a minhas companheiras e companheiros de profissão

Julia

Você não sabe...




Você não sabe o quanto eu caminhei
Pra chegar até aqui
Percorri milhas e milhas antes de dormir
Eu não cochilei
Os mais belos montes escalei
Nas noites escuras de frio chorei, ei, ei
ei ei ei..uu..

A Vida ensina e o tempo traz o tom
Pra nascer uma canção

Com a fé no dia-a-dia
Encontro a solução
encontro a solução

Quando bate a saudade
Eu vou pro mar
Fecho os meus olhos
e sinto Você chegar, você
chegar, fisico, fisico,fisico

Quero acordar de manhã
do teu lado
E Aturar qualquer babado
Vou ficar apaixonado,
no teu seio aconchegado

Ver você dormindo e sorrindo
É tudo que eu quero pra mim
Tudo que eu quero pra mim,quero...

Quero acordar de manhã do teu lado
E aturar qualquer babado
Vou ficar apaixonado,
no teu seio aconchegado
Ver você dormindo ‚ tão
lindo
É tudo que eu quero pra mim
Tudo que eu quero pra mim

quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

Buri - Churrasco (1)




Buri - Churrasco (2)





Buri - Churrasco (3)






Buri - churrasco (4)








Buri - Churrasco (5)





Buri - Churrasco (6)



sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

Aline


Minha Hiper, Mega, Master
Amiga do Coração
Somos amigas desde os tempos
das trakinagens
de infãncia
Estudamos juntas sempre,
na mesma escola,
na mesma classe,
na mesma turma
E não é de admirar q tenhamos hoje
a mesma profissão
Pois é,
Passamos pelas fases boas,
pelas não tão boas
sempre felizes,
sempre sorrindo
Ainda q houvesse choro,
Tinhamos a certeza do sorriso
É,
Foi sempre assim!
Por isso q a nossa amizade
se estende ano à ano
E agora chegamos aos 26
e uma nova etapa,
uma nova fase da vida
A menina,
Hoje tornou-se Ana Lívia
A mulher,
era Aline
E Aline, agora é mãe...
E a amiga,
já se sente um pouco tia
diante tanta expectativa
...


Querida Amiga...

Felicidades
à vc e a
Ana Lívia
Bj´s
Ju

quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

E por falar...


E por falar em paixão,

Em razão de viver...

Você bem q podia me aparecer

Naqueles mesmos lugares

Nas noites, nos bares

Onde anda vc?


Clic

terça-feira, 6 de janeiro de 2009

Quem ama, ama o amor...



Desorientada esperei a lua aparecer
Mergulhei nas suas sombras tentando entender
Você foi embora e eu quis saber "por quê"?
Ela, teimosa e cinza, quis se esconder
Talvez seja só a primeira vez
Talvez seja só a segunda-feira
Talvez um acesso de insensatez
Talvez porque já passou das seis
De tão esgotada decidi subir, voltar à tona
Desisti de perguntar tanta pergunta tola
A solidão do amor é uma solidão tão boa
Quem ama ama o amor, e não outra pessoa


by: Ana Toller
(Kid Abelha)