Lembrando que...

No meu blog há inúmeras imagens, artigos e materiais encontrados na internet.
Caso vc seja o autor de quaisquer materiais, deixe seu recadinho, que lhe darei os devidos créditos.
Sem mais,
Julia Campanucci

domingo, 30 de setembro de 2007

há amigos q se apegam + q irmãos...


UMA FAMÍLIA DIFERENTE


Nos vemos todos os dias

Parecemos até uma família

Acho que somos uma família

Que se encontra no começo do dia

E se despede no final da tarde

Reencontra-se no outro dia

Conta todas as novidades

Da tarde q antecedera àquele dia






E assim vão se passando os dias

E quando uma sai as outras choram.

Para onde foi a colega?

Vamos sentir tanto a sua falta!

Falta alguém em nossa família

Família que tem famílias

E tem novidades pra contar






Uma conta do filho que não chegou

A outra conta da filha que casou

Até da neta que nasceu

Mas é uma nova família

Que está ali pra trabalhar

Cada uma tem a sua função

Mas não deixa a outra na mão




Estão todas a se ajudarem

Sentem quando alguém está triste

Ou se demora de chegar

Brigam também por qualquer coisa

Mas logo se reconciliam

E assim o tempo passa

Quando estamos a trabalhar.

Pão com Doce



Pão com doce


Sabe mãe, eu não quero ser grande. Quero olhar para as estrelas e pensar sempre que elas tocam no céu, quero imaginar que vivem anjos nas nuvens e que Deus faz lá em cima grandes patuscadas com o seu filho Jesus e outros amigos, que não há horas nem minutos, só dia quando começa a luz e noite quando as estrelas iluminam a cidade, lá ao fundo da janela, feita de mil luzinhas amarelas e brancas.
Sabe mãe, eu não quero crescer. Quero continuar a achar que a casa é tão grande que posso fazer corridas de triciclo até ficar com a língua de fora, quero puxar sempre um banco para ir buscar o iogurte escondido na prateleira do frigorífico, fazer equilibrismo cada vez que tenho de sair da banheira e pensar que o mundo está cheio de pais, mães, avós, tias e primas todas lindas, com a pele lisa e bem cheirosa que passam o tempo a dar-me beijinhos e presentes.

Eu sei que estou a crescer, os sapatos deixam de me servir de um mês para o outro, as calças roçam-me os calcanhares e as mangas das camisolas encurtam, caem-me dentes todas as semanas e já me disseram lá na escola que agora é que vou ter dentes a sério como as pessoas crescidas, mas eu não acredito, quero os meus dentes de volta para poder mastigar o bife e o pão com doce. Também me dizem que daqui a um ano e picos me vou sentar numa carteira, vou ter livros e cadernos, vou aprender a ler e a fazer contas, não me importo nada, até acho boa ideia. O pior é que depois vou ter trabalhos de casa e quando acaba a escola eu quero é ir para o escorrega, encher a cara de areia, andar de baloiço até quase dar a volta perto do céu e esconder-me atrás dos troncos das árvores, muito direitinho sem ninguém me ver e quando a mãe chega e se põe à minha procura eu transformo-me no Homem Invisível e depois apareço de repente e voltamos os dois para casa.

A mãe liga a música e cantamos em coro a história daquela sereia que queria ser menina, da baby-sitter que voava pendurada num guarda-chuva, do rapaz pobre que encontrou uma lamparina e descobriu que o melhor amigo dele era um génio, da menina que derreteu o coração de um monstro e fez dele um homem. Ponho o cinto, não vá aparecer um senhor de bigode vestido de azul com um boné a dizer polícia que mande parar o carro e passe um papel branco com letras e números que deixam a mãe mesmo chateada.
No caminho de regresso há muitos risquinhos brancos na auto-estrada e muitos candeeiros ao pé do céu, tantos que a certa altura desisto de os contar e quando está calor posso abrir a janela e sentir o vento na cara a empurrar-me o cabelo para trás da cabeça e então fecho os olhos até metade e sonho com um hambúrguer gigante cheio de surpresas e uma bebida com bolhinhas para o jantar.
Quando crescer, tenho medo de andar sempre cansado, de já não gostar de ver o mesmo filme três vezes seguidas, de não me divertir a jogar o dominó nem a brincar às escondidas dentro dos roupeiros onde cheira a sabonete e as camisolas fazem uma espécie de almofada muito fofinha onde me sento em silêncio à espera que me descubram.
Sei que ainda faltam muitos anos para que essas coisas todas horríveis me aconteçam, que antes de me tornar um homem ainda vou mudar de voz, a cara vai semear-se de pêlos estúpidos, os meus pés vão ficar do tamanho dos de um gigante e nem vou perceber o que me está a acontecer.
Mas enquanto esse dia não chega, só me apetece brincar, dar beijinhos às pessoas de quem gosto, adormecer com a cara encostada à mão da minha mãe e pensar que ela é a mais linda e a mais querida e que vai estar sempre à minha cabeceira, quando à noite fecho os olhos e imagino que dou a volta ao mundo numa largada de balões de todas as cores...
Crónicas da Margarida de Margarida Rebelo Pinto


sábado, 29 de setembro de 2007




"Só as coisas importantes são lembradas quando nos esquecemos de tudo o mais"

quarta-feira, 26 de setembro de 2007

meu cantinho...

Cantinho Escondido
(Marisa Monte)
Dentro de cada pessoa
Tem um cantinho escondido
Decorado de saudade
Um lugar pro coração pousar
Um endereço que freqüente sem morar
Ali na esquina do sonho com a razão
No centro do peito, no largo da ilusão
Coração não tem barreira, não
Desce a ladeira, perde o freio devagar
Eu quero ver cachoeira desabar
Montanha, roleta russa, felicidade
Posso me perder pela cidade
Fazer o circo pegar fogo de verdade
Mas tenho meu canto cativo pra voltar
Eu posso até mudar
Mas onde quer que eu vá
O meu cantinho há de ir
Dentro...

Olha q graça...

video

terça-feira, 25 de setembro de 2007

Educação

"Educar é ser um artesão da personalidade, um poeta da inteligência, um semeador de idéias."

"Bons professores falam com a voz, professores fascinantes falam com os olhos."
"Aonde chegamos depende do quanto libertamos a arte de pensar."
"Ser um mestre inesquecível é formar seres humanos que farão diferença no mundo."
"O afeto e a inteligência curam as feridas da alma, reescrevem as páginas fechadas do inconsciente."
"Para educar, use primeiro o silêncio e depois as idéias."
"Não importa o tamanho dos nossos obstáculos, mas o tamanho da motivação que temos para superá-los."
"Por trás de cada informação dada com tanta simplicidade em sala de aula existem as lágrimas, as aventuras e a coragem dos cientistas. "
"Um professor influência mais a personalidade dos alunos pelo que é do que pelo que sabe."
"Se o teu sol é verdadeiro, não tenha medo
das nuvens que o encobrem, pois um dia elas
se dissiparão e o brilho do sol voltará..."

segunda-feira, 24 de setembro de 2007

q bom!!!

***
Ganhei o dia
q bom te conhecer
alguém espia
estou de olho em vc
tá td em cima
ninguem falou de amor
rolou um clima
mas não me leve a mal
se eu me apaixonar no final
Não quero ver quem tem razão
sou movida a paixão
roupas jogadas pelo chão
sexo, amor e traição
o sol caindo no leblom
não! não diga nada
deixa este filme rodar
deixa esta estrela brilhar
não quero nem saber
eu sei q sempre vale a apena
outra cena de cinema acontecer
Luciana Mello

domingo, 23 de setembro de 2007

Julia

Sou eu...



Esta foto foi tirada em uma manhã na Cidade de Itararé dia 30/07/07 estava muuuito frio, eu estava me preparando para assistir à mais um dia de Congresso q por sinal estava excelente!

dicas

Para todos q amam estes
pequeninos:


Um Blog maravilhoso cheio de dicas:
* * * * * *

Eu queria...

Unhnnn...
hj o que eu mais queria
era poder te dar
um abraço,
assim
...

Será q vc aceita???

Primavera



Primavera...


Respiramos alegria,

é a Primavera


As flores se abrem perfumando o ar

Tudo q é bonito, sai pra se mostrar

Cada novo dia é uma festa pra viver

Uma poesia q o sol faz renascer

Uma aquarela em todo lugar

Toda natureza quer se namorar

É como se o mundo se enfeitasse de azul

Ou de um arco-íris que ligasse o Norte ao Sul


Todas as pessoas na cidade respirando Primavera

Tudo que tem vida pelas matas respirando Primavera


Um sorriso mostra como é fácil ser feliz

Um show de alegria toddo mundo pede bis

Sim, é a estação dos namorados,

Tudo é lindo qdo é primavera


Uma borboleta vem anunciar

que a estação das cores veio pra ficar

é como se o sonho despertasse pra viver

uma poesia q o sol faz renascer


Uma aquarela em todo lugar

toda natureza quer se namorar

é como se o mundo se enfeitasse de azul

ou de um arco-íris q ligasse o N ao Sul


Todas as pessoas na cidade respirando Primavera

Tudo que tem vida pelas matas respirando Primavera


Um Sorriso mostra como é facil ser feliz

um show de alegria todo mundo pede bis

sim é a estação dos namorados,

tudo é lindo qdo é Primavera


Eu sei que tudo nessa hora pode acontecer

Só falta agora a primavera me trazer você!!!!

Minha paixão...


Olha q lindinhas!!!

Minha mãe

maravilhosa

e eu...
Mãe eu te amo!!!

sábado, 22 de setembro de 2007

Matemática

Problemas Matemáticos:


Em um onibus há 7 garotas
Cada garota tem 7 mochilas
Cada mochila tem 7 gatos grandes
Cada gato grande tem 7 gatos pequenos
Quantas pernas tem dentro do onibus???

sexta-feira, 14 de setembro de 2007

namorado

***Ter ou não ter namorado***
Quem não tem namorado é alguém que tirou férias remuneradas de si mesmo.
Namorado é a mais difícil das conquistas. Difícil porque namorado de verdade é muito raro. Necessita de adivinhação, de pele, saliva, lágrima, nuvem, quindim, brisa ou filosofia.
Paquera, gabira, flerte, caso, transa, envolvimento, até paixão é fácil. Mas namorado mesmo é muito difícil. Namorado não precisa ser o mais bonito, mas ser aquele a quem se quer proteger e quando se chega ao lado dele a gente treme, sua frio, e quase desmaia pedindo proteção. A proteção dele não precisa ser parruda ou bandoleira: basta um olhar de compreensão ou mesmo de aflição.
Quem não tem namorado não é quem não tem amor: é quem não sabe o gosto de namorar. Se você tem três pretendentes, dois paqueras, um envolvimento, dois amantes e um esposo; mesmo assim pode não ter nenhum namorado.
Não tem namorado quem não sabe o gosto da chuva, cinema, sessão das duas, medo do pai, sanduíche da padaria ou drible no trabalho. Não tem namorado quem transa sem carinho, quem se acaricia sem vontade de virar lagartixa e quem ama sem alegria. Não tem namorado quem faz pactos de amor apenas com a infelicidade.
Namorar é fazer pactos com a felicidade, ainda que rápida, escondida, fugidia ou impossível de curar.
Não tem namorado quem não sabe dar o valor de mãos dadas, de carinho escondido na hora que passa o filme, da flor catada no muro e entregue de repente, de poesia de Fernando Pessoa, Vinícius de Moraes ou Chico Buarque, lida bem devagar, de gargalhada quando fala junto ou descobre a meia rasgada, de ânsia enorme de viajar junto para a Escócia, ou mesmo de metrô, bonde, nuvem, cavalo, tapete mágico ou foguete interplanetário.
Não tem namorado quem não gosta de dormir, fazer sesta abraçado, fazer compra junto. Não tem namorado quem não gosta de falar do próprio amor nem de ficar horas e horas olhando o mistério do outro dentro dos olhos dele; abobalhados de alegria pela lucidez do amor.
Não tem namorado quem não redescobre a criança e a do amado e vai com ela a parques, fliperamas, beira d’água, show do Milton Nascimento, bosques enluarados, ruas de sonhos ou musical da Metro.Não tem namorado quem não tem música secreta com ele, quem não dedica livros, quem não recorta artigos, quem não se chateia com o fato de seu bem ser paquerado. Não tem namorado quem ama sem gostar; quem gosta sem curtir; quem curte sem aprofundar. Não tem namorado quem nunca sentiu o gosto de ser lembrado de repente no fim de semana, na madrugada ou meio-dia do dia de sol em plena praia cheia de rivais.Não tem namorado quem ama sem se dedicar, quem namora sem brincar, quem vive cheio de obrigações; quem faz sexo sem esperar o outro ir junto com ele. Não tem namorado que confunde solidão com ficar sozinho e em paz. Não tem namorado quem não fala sozinho, não ri de si mesmo e quem tem medo de ser afetivo.
Se você não tem namorado porque não descobriu que o amor é alegre e você vive pesando 200Kg de grilos e de medos. Ponha a saia mais leve, aquela de chita, e passeie de mãos dadas com o ar. Enfeite-se com margaridas e ternuras e escove a alma com leves fricções de esperança. De alma escovada e coração estouvado, saia do quintal de si mesma e descubra o próprio jardim. Acorde com gosto de caqui e sorria lírios para quem passe debaixo de sua janela. Ponha intenção de quermesse em seus olhos e beba licor de contos de fada. Ande como se o chão estivesse repleto de sons de flauta e do céu descesse uma névoa de borboletas, cada qual trazendo uma pérola falante a dizer frases sutis e palavras de galanteio.
Se você não tem namorado é porque não enlouqueceu aquele pouquinho necessário para fazer a vida parar e, de repente, parecer que faz sentido.
Autor: Carlos Drummond de Andrade

quarta-feira, 5 de setembro de 2007